23/12/2016

Natal Macabro



Todos nós sabemos que o Natal reserva boas surpresas para quem se comportou bem durante o ano. Mas, o que acontece com aqueles que deixaram a desejar? Um presente amaldiçoado transforma esta noite mágica em uma noite sangrenta e mortal.


Dia de Natal. Durante o dia todos estavam apressados e empolgados com as festividades noturnas, enquanto Noel, mais tarde conhecido como Papai Noel, colocava em prática todo seu plano. A cidade era pequena, e ao total na lista de Noel haviam 88 crianças. Noel durante o dia todo sem descansar construía com suas próprias mãos os brinquedos das crianças. Eram carrinhos de madeira, bonecas de pano e muitas outras coisas que ele inventava.

Durante a noite de Natal, Noel esperou as festas cessarem, para que antes de terminar a noite, enquanto todos estavam exaustos dormindo em suas casas profundamente, ele entrasse pelas chaminés e colocasse em prática todo seu plano. Depois de entrar pela chaminé, Noel caminhava até a árvore natalina da casa, colocava um brinquedo endereçado à criança que ali morava, e logo em seguida procurava os quartos de seus pais. Ele levava consigo um saco com os presentes, e em seu cinto uma grande faca e uma pequena navalha.

Ao entrar no quarto dos pais, Noel retirava a faca e matava o homem e a mulher com golpes mortíferos no peito de cada um. Depois retirava seus olhos e os guardava numa pequena caixa que ficava dentro do saco de presentes. Com a navalha ele deixava as duas pessoas carecas e sem o couro da cabeça também, relembrando agora seu antigo serviço de barbeiro. Estava concluído seu serviço.

Próxima casa.

Foi uma noite exaustiva para Noel, mas logo na manhã seguinte o resultado foi uma verdadeira e abominável cena de desespero em todos os cantos da cidade. Assim como ele queria e planejara. Policiais, famílias e visitantes nervosos e desesperados sem saber o que fazer. De repente, uma voz em meio à multidão gritou apontando para a grande árvore de Natal do centro.

- Foi o velhinho dos presentes! Olhem a árvore de Natal!

As pessoas em conjunto olharam com atenção aos enfeites pendurados em cada ponta do grande pinheiro. Os olhos de todas as vítimas estavam ali, no lugar das bolas brilhantes. Enquanto isso, dezenas de sacos pretos circulavam para retirar os corpos das casas.

Todos os que estão mortos foram aqueles que tinham filhos e os levaram até ele na véspera de Natal. Por sorte, ele não fizera nada com as crianças. Outra voz gritava:

- Vamos matá-lo!

Assim, todos em união vasculhavam beco por beco pelo velhinho dos presentes, mas durante mais de duas horas nada encontraram.

Ao passar em frente da antiga barbearia de Noel, alguns participantes de um grupo perceberam que aquele lugar não estava mais abandonado. Rastros de botas por toda a neve da calçada marcavam o caminho até a porta, que agora já não tinha mais neve sob a fechadura.

Com um pesado chute, a porta veio abaixo rapidamente, e em dupla entraram as primeiras pessoas. O restante do grupo aguardava ansioso por vingança. Esperavam um sinal para invadirem a casa e matarem o velhinho dos presentes. Mas alguns segundos se passaram, e a única coisa que escutaram foi o silêncio seguido por dois corpos que foram jogados para fora mortos e com as gargantas rasgadas. Em seguida, Noel saiu pela porta da frente com sua roupa branca, agora vermelha de sangue, gritando:

- Hohoho! Venham pegar seus presentinhos com o Papai Noel! Hohoho!

Ele entrou e o silêncio dentro da barbearia só era cortado pelos gritos da multidão. A polícia chegou e cercou todo o quarteirão. Eles queriam invadir para tentar prender Noel, mas a população em massa chegou gritando:

- Vamos queimar o Papai Noel!

E foi o que fizeram. As chamas foram tão fortes e altas que para chegar perto do local da barbearia as pessoas tiveram que esperar mais de 1 dia para o calor diminuir. A história do Papai Noel foi distorcida com o tempo, e hoje, pelo menos em teoria ele é uma boa pessoa, um bom velhinho. Mas lembrem-se de quem ele realmente foi no passado.


HO HO HO FELIZ NATAL A TODOS!