14/03/2017

Nunca Acredite no que Você Ouve

The Blue Room, Pablo Picasso, 1901, que esconde um "fantasma"
somente revelado por infravermelho.

Sabe aqueles sussurros macabros que surgem no fundo do armário? Já sentiu um frio se rastejando em sua coluna vertebral? Já deu uma parada durante uma volta no corredor, achando que, se você olhasse para trás, você veria algo que não deveria estar lá?

Algo se arrasta, no meio das sombras. Algo que, uma vez que o veja, nunca vai parar de correr em sua direção. Ele não virá atrás de você enquanto estiver dormindo. Ele quer que você saiba que ele está lá. Ele quer que você ouça o som incessante de seus passos, a sua respiração ofegante ecoando pelo seu quarto.

Ele sente o cheiro do seu medo, escuta o seu choro e pode ver o horror em seu rosto enquanto ele se aproxima. Se você tiver sorte, você não vai tentar encontrá-lo. Não preste atenção aos sinais. Não tente procurar as coisas que parecem voar pelo canto do seu olho. A ignorância será o seu escudo e sua proteção.

Não seja muito curioso. Encare os sons como se fossem os de uma casa antiga, uma falha no aquecedor, ou qualquer outra desculpa que você possa pensar. Faça o que fizer, pense o que quiser, não acredite no que você ouve. Porque uma vez que você acredite, eles vão se tornar reais.

E quando você finalmente descobrir de onde eles são... Eles virão para você.