13/07/2018

De onde surgiu a superstição da Sexta-Feira 13?



A superstição é bastante conhecida: sexta-feira 13 é sinônimo de azar. É aquele dia que devemos evitar passar por baixo de escadas, quebrar espelhos, cruzar com gatos pretos, etc. Mas a origem dessa lenda nada tem a ver com assassinos usando serras elétricas, como vemos nos filmes de terror. Sua origem vem da numerologia, da cultura cristã, da mitologia nórdica e até mesmo em eventos que ocorreram durante a Idade Média. No entanto, há quem acredite que todo esse misticismo da data é um fenômeno divulgado pela cultura pop a partir do século XX.

Na Santa Ceia, conhecida história bíblica cristã, a chegada de Judas, o apóstolo traidor de Jesus, completa o número de 13 pessoas à mesa mesa, o que ficou conhecido posteriormente como sinal de mau agouro. No dia seguinte, sexta-feira, também conhecida como Sexta-feira da Paixão, foi o dia da crucificação de Jesus Cristo. Judas morreu em seguida, supostamente cometendo suicídio. Segundo a tradição judaico-cristã, Eva teria oferecido o fruto proibido a Adão em um dia de sexta-feira. O grande dilúvio, que exterminou a população do planeta - deixando apenas a descendência de Noé, teria começado nesse mesmo dia da semana.


A Última Ceia. O 13º chegou, é treta.


Na mitologia nórdica, uma mesa com 13 pessoas também é um mal sinal. O 13 virou número de desgraça depois de uma confusão em um banquete para 12 divindades no Valhalla, a morada celestial. Loki, o deus nórdico símbolo da maldade, apareceu sem ser convidado e armou uma briga que resultou na morte de Balder, deus da justiça e da sabedoria. Desde então, acreditava-se que 13 pessoas junto a uma mesa era garantia de tragédia.


Desenho representando Valhala.


Ainda na mitologia nórdica, a sexta-feira 13 está relacionada à deusa do amor, Freya. Segundo a lenda, essa divindade sentiu-se abandonada após os nórdicos se converterem ao cristianismo. Por vingança, Freya teria passado a se reunir todas as sextas-feiras com 11 bruxas e um demônio (assim somando 13) para amaldiçoar os novos cristãos. Essa reunião era conhecida como a noite das bruxas. O nome friday, sexta-feira em inglês, veio, inclusive, em homenagem à deusa.


Freya


Falando agora em numerologia, o 13 significa inconstância: alternância entre o 1 e o 3, que são "rebeldes", e o 4 (a soma entre os dois) mais "conservador". No tarot, o arcano correspondente à carta 13 é "A Morte". A numerologia cristã considera o 12 como um número completo (12 tribos de Israel e 12 discípulos). A adição de mais um, seria, então, um sinal de infortúnio.


13 na carta do Tarot


O livro O Código Da Vinci, de autoria de Dan Brown, impulsionou uma crença de que, durante a Idade Média, um acontecimento serviu para perpetuar essa superstição. Na sexta-feira do dia 13 de outubro de 1307, os oficiais do rei Felipe IV da França realizaram prisões em massa, pois a majestade estaria incomodada com o poder e a influência da Ordem dos Cavaleiros Templários (fundada durante as Cruzadas). Nos sete anos que se seguiram às prisões, centenas de templários sofreram torturas horríveis, sendo forçados a confessarem crimes como heresia, blasfêmia, obscenidades, e práticas homossexuais. Mais de cem cavaleiros morreram sob tortura ou foram condenados a queimar na fogueira, mas nenhuma dessas acusações foi provada.


Cavaleiros Templários


E como explicar a Sexta-Feira 13 na modernidade?


O Clube dos Treze foi uma associação que acabou por juntar as superstições com relação a sextas-feiras e o número 13. Foi fundado em 13 de janeiro de 1882 e consistia em um grupo de homens determinados a desafiar superstições. Sim, você não leu errado, essa era a função do clube. Os 13 homens se encontravam sempre no dia 13 de cada mês, sentavam juntos à mesa, quebravam espelhos, derrubavam saleiros e entravam no salão de jantar passando debaixo de uma escada. Se o dia 13 caísse em uma sexta-feira, as reuniões eram consideradas especiais.


Clube dos 13 (o que não é do futebol)


Thomas Lawson, corretor de ações, escreveu o livro Sexta-Feira 13 em 1907. O livro conta a história de um corretor de Wall Street que manipula o valor das ações para se vingar dos inimigos, deixando-os na miséria. Depois disso, passou-se a interpretar a data como um dia de azar para realizar negócios. Devido à superstição, o preço das ações costuma cair nesta data. A obra, posteriormente, influenciou outras produções com esta mesma temática das superstições na sexta-feira 13.




Na década de 1980, surge a franquia de filmes Sexta-Feira 13, com o famigerado Jason Voohrees, já somando 12 produções (incluindo Freddy vs. Jason) e lucrando mais de 500 milhões de dólares. A popularidade de Sexta-Feira 13 influenciou também a criação de uma série de televisão nomeada de Friday the 13th – The Legacy (Sexta-feira 13 - O Legado), entre 1987 e 1990. No Brasil, a série foi exibida com o nome de "Loja do Terror" entre 1988 e 1991 na Rede Globo.




Revisão de texto e diagramação: Tia Val



Para conhecer as superstições mais comuns da sexta-feira 13, veja nosso video disponível no canal dO Assustador no Youtube: